Por Dr. Hermes,
O monumento ao Cristo Redentor (RJ), iluminado com a cor rosa desde as primeiras noites do mês, já vem sinalizando a importância da conscientização para o combate ao câncer de mama no Brasil. Como parte de um movimento conhecido como Outubro Rosa, originário dos EUA na década de 1990, esta é uma entre diversas outras ações que vem ganhando, a cada ano, mais destaque e estimulando a participação da população no controle da doença. E isso é plenamente justificável dada a gravidade da doença: excetuando-se os casos de pele não melonoma, o câncer de mama é o mais incidente em mulheres e responsável por aproximadamente 25% dos casos de câncer no mundo, segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Ainda de acordo com a entidade, é a quinta causa de morte por câncer em geral e a mais freqüente entre as mulheres. No Brasil, as regiões Sul e Sudeste são as que apresentam as maiores taxas.

“A importância da prevenção é, portanto, o grande objetivo das ações de conscientização do Outubro Rosa”.

A atenção no diagnostico, nesse sentido, é de crucial importância na prevenção da doença e melhora desta triste realidade. O câncer de mama, na realidade, é um grupo heterogêneo de doenças, com comportamentos distintos e o sintoma mais comum é o aparecimento de nódulo, geralmente indolor, duro e irregular. Outros sinais são edema cutâneo semelhante à casca de laranja, retração cutânea, dor, inversão do mamilo, secreção papilar, entre outros. Infelizmente, o câncer de mama não possui uma causa única. Diversos fatores estão relacionados ao aumento do risco de desenvolver a doença, tais como: idade, fatores endócrinos, história reprodutiva, fatores comportamentais, ambientais e fatores genéticos e hereditários. No entanto, as mulheres mais velhas são mais propensas a desenvolver a doença, sobretudo a partir dos 50 anos de idade. O acúmulo de exposições ao longo da vida e as próprias alterações biológicas com o envelhecimento aumentam, de modo geral, esse risco.
A boa notícia é que o Câncer de Mama, quando identificado em estágios iniciais, apresenta prognóstico mais favorável e elevado percentual de cura. As estratégias para a detecção precoce são o diagnóstico precoce, sendo a própria mulher capaz efetua-lo. A orientação é que ela realize a autopalpação das mamas sempre que se sentir confortável para tal, seja no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano, sem nenhuma recomendação de técnica específica, valorizando-se a descoberta casual de pequenas alterações mamárias, que deverão ser reportadas ao médico sempre quando detectadas.

O autoexame é simples e pode salvar sua vida. Aprenda como fazer!
Também é de suma relevância que toda mulher realize a Avaliação Preventiva Anual com seu Ginecologista, assim como os exames de imagem tais como Mamografia e Ultrassonografia, entre outros. As Mamografias podem ser realizadas de forma preventiva, anualmente, para pacientes acima de 40 anos. A importância da prevenção é, portanto, o grande objetivo das ações de conscientização do Outubro Rosa. Espero, contudo, que a sensibilização, tão reforçada no decorrer desse mês, venha a converter-se em atitude ao longo de todo o ano. Afinal, campanha dura um mês, porém o combate deve ser constante.
Dr. Hermes de Queiroz Lima Jr. – CRM 36.105
Diretor Geral e Responsável Técnico da Holos Saúde
Write a comment:

*

Your email address will not be published.

1 × 3 =

*

2014-2017 © Copyright - Publicidade Campinas - Criação de Sites, Divulgação Online e Arte

Fale Conosco (19) 3236-8398